A+ A-
Artigos

Vivemos tempos exponenciais: as inovações tecnológicas têm influenciado e provocado mudanças em todos os setores. Neste momento, estamos assistindo à transformação de diversos segmentos e ao surgimento de outros tantos para atender a necessidades que, por vezes, há 10 ou 15 anos sequer conhecíamos.

 

Nessa esteira, muito se estuda sobre quais serão as profissões do futuro. Palavras como mindset e soft skills já fazem parte do cotidiano de múltiplas empresas há tempos. Estamos, agora, em busca de novos conhecimentos, seja para começar em uma carreira ou continuar crescendo na atual.

 

Vejo pessoas procurando algo que norteie suas escolhas e decisões na vida pessoal, nos relacionamentos, no desenvolvimento profissional, na escolha do próximo curso... No entanto, quando não se sabe ao certo qual é o seu propósito - ou não se tem esse “Norte” -, a única certeza que se tem é que essa busca traz ansiedade sobre o futuro.

 

Certa vez, um amigo me disse: “Haroldo, não busque um norte. Busque latitude e longitude”.

 

Demorei um pouco para entender sobre o que ele falava. Mas, refletindo por algum tempo, entendi que mais do que uma direção, eu precisava de metas específicas, de propósito!  Entendi que, além de saber onde eu quero chegar, meu foco deve ser em entender a exata localização em que desejo estar. E, a partir disso, traçar uma rota e um plano de ação para atingir esse objetivo.

 

Lembrando das nossas aulas de geografia, um dos principais e mais conhecidos sistemas de localização terrestre é o de coordenadas geográficas, que surge a partir da combinação entre latitudes (sentido leste-oeste) e longitudes (direção norte-sul). Com essas duas coordenadas, é possível indicar a localização exata de qualquer lugar no planeta Terra e a distância relativa entre duas localidades.

 

Trazendo para o nosso dia-a-dia, em que vivemos tempos de constantes mudanças, ter a latitude e a longitude dos nossos projetos nos ajudará a manter o foco, a direção e até o equilíbrio emocional. E a resiliência garantirá nossa capacidade de adaptação e aprendizado frente aos desafios. Assim, poderemos atuar em nossa capacidade máxima, extraindo o melhor do que a tecnologia pode oferecer a nosso favor.

 

Latitude e longitude, empregadas desta forma, são mais do que referências a serem seguidas. Elas demonstram seu poder de organização, sua habilidade de planejamento e sua capacidade de execução. Assim, mesmo vivendo nesta era de constantes transformações tecnológicas, você estará preparado para encarar essas mudanças.

 

Sobre o autor:

 

Haroldo é funcionário do Bradesco há 12 anos, onde iniciou sua carreira como estagiário e hoje é Gerente de Estratégias Comerciais para Pessoa Física na área de Varejo e Coordenador do grupo de Etnias. É graduado em Comércio Exterior, Especialista em Estratégia Internacional e em Varejo Bancário, tem MBA em Negócios de Varejo pela FIA e em Vendas e Negociação pela PUC RS e é estudante da especialização em Inteligência Artificial na POLI/USP. Já fez intercâmbios no México, África do Sul e EUA, onde participou de projetos do Banco na Apple (Vale do Silício).