A+ A-
Artigos

Muito tem se falado desse novo normal pós covid; mas tenho me perguntado insistentemente o que será desse novo se o velho ainda existir em cada um de nós? E esse velho? Não funciona mais?

 

E quando eu falo do velho, penso muito no modelo mental, no quanto a nossa mente está apta para novas possibilidades, novas oportunidades, até de um novo que já deveria existir antes da pandemia.

 

E como extrapolar a barreira do novo e do velho, daquilo que se deixa e daquilo que se aprendeu para viver no hoje?

 

Existe uma complexidade na desconexão, porém existe uma simplicidade no novo e no velho. Juntos formam quem somos, porque não existe abandono, existe um de/para, que parte de um aprendizado do que fomos no velho e o quanto nos impulsionamos ao enxergar o novo.

 

Vale refletir com as perguntas abaixo:

O que eu fazia pré pandemia que não faço mais ou mudei a forma? No novo continuarei?

O percentual de autoconhecimento aumentou?

O percentual de conhecimento e de empatia com o outro melhorou?

A forma como eu me conecto com as pessoas ampliou?

Sou a mesma pessoa de 100 dias atrás?

O que essa pandemia fez em mim?

O quanto eu venci o medo, o trabalho remoto, a falta de trabalho, a angústia, a doença mudou meu modo de olhar o mundo?

Se em algumas delas você perceber que a mudança aconteceu, então prepare-se um novo normal que já está em você e só tende a continuar existindo, pois, a permissão de evolução aconteceu.

 

Assim como o ontem já passou, seu velho normal também. Vivemos um dia de cada vez, mas sem jamais respeitar o que fomos.

E esse respeito parte de olhar o velho com valorização e olhar o novo com possibilidade de ação. De um olhar ainda mais otimista, mais humano e cuidadoso.

 

O pulo para o novo normal já está acontecendo, assim como na letra do Rappa “Navegar é preciso senão. A rotina te cansa”, você pode escolher voltar e como em um tabuleiro iniciar a partida como se nada tivesse acontecido ou estar preparado nesse mesmo tabuleiro para a próxima rodada de um jogo que já começou e fazer cada dia diferente.

 

Seja seu novo normal, talvez provocado antes do imaginado, mas de verdade porque você foi chacoalhado, viu que pode mudar e assim em um futuro tão próximo você já esteja melhor preparado.

 

Patricia Biasoli Roque é Analista de Educação Corporativa na Unibrad. Atua no desenvolvimento de soluções para líderes e acredita fortemente no potencial transformador da educação na vida das pessoas

Mais artigos por Patricia Biasoli Roque