A+ A-
Destaques

Afinal, o que é blockchain?

Na era digital atual, a tecnologia é o centro de todas as ações, tanto nos negócios, como em nossas vidas. Os avanços tecnológicos parecem responder a quase todos os desafios mundiais e sociais, desde baterias que acendem uma vila inteira até microchips que podem ser usados em estudos médicos, entre outros inúmeros exemplos.

 

Um desses avanços é o blockchain. Basicamente, o blockchain é um banco de dados descentralizado, ou lista, de registros públicos (ou contabilidade pública) de todas as transações ou eventos digitais que foram executados e compartilhados entre partes participantes. Cada transação em um registro público é verificada por consenso pela maioria dos participantes no sistema. O blockchain contém um registro determinado e verificável de cada transação já feita. E, uma vez inseridas, as informações nunca podem ser apagadas.

 

Por meio dessa tecnologia, compradores e vendedores interagem diretamente para transferir valores ou informações pela internet, sem a verificação da transação online por uma autoridade reconhecida.

 

A tecnologia blockchain funciona perfeitamente, garantindo a integridade do valor trocado entre bilhões de dispositivos sem a necessidade de passar por um intermediário oficial. Também tem o potencial de provar a existência de documentos legais, registros de saúde, pagamentos de fidelidade, títulos privados ou licenças de casamento, por exemplo.

 

O blockchain já provou que pode ser utilizado para uma série de aplicações em diversas esferas (tanto no mundo financeiro como não financeiro), principalmente em startups nos setores de saúde, finanças e logística. A Teambrella, por exemplo, é uma startup P2P (person-to-person), que permite que grupos de indivíduos ofereçam cobertura de seguro para si sem a necessidade de intermediários.

 

A principal vantagem é que o blockchain estabelece um sistema que cria um consenso diferenciado no mundo digital online. Isso permite que os participantes independentes saibam com certeza que ocorreu um evento digital, criando uma anotação incontestável em um registro público.

 

Por garantir a segurança e privacidade de nossos bens digitais, o blockchain nos livra de ter que depositar nossa confiança em uma terceira entidade, como, por exemplo, um provedor de serviços de e-mail que informa que nosso e-mail foi entregue ou uma autoridade de certificação que nos diz que um certo certificado digital é confiável.

 

Trata-se de uma tecnologia que abre a porta para o desenvolvimento de uma economia digital democrática, segura, descentralizada, aberta e escalável, distinta da economia centralizada. Existem enormes oportunidades nesta tecnologia para gerar e trocar valor na sociedade.

 

Conforme relatório publicado pela PwC: “o blockchain está na base da disruptura em nossa forma de pensar como pagamos pelas coisas, assim como sabemos quem possui o quê e quem tem o direito de vender ou comprar”.


E essa revolução só está começando.

 

Fonte: Deloitte/WEF/PwC