A+ A-
Destaques

Os 10 erros mais comuns de português

Confira a seguir os erros mais comuns cometidos por falantes de língua portuguesa no Brasil, selecionados pela linguista Camila Rocha Irmer, do Babbel:

 

1. “Entre eu e você”

O correto, segundo os especialistas, é usar “entre mim e você” ou “entre mim e ti”. Depois de preposição, deve-se usar “mim” ou “ti”.

 

2. “Mal" ou "mau”

“Mal” é o oposto de “bem”, enquanto “mau” é o contrário de “bom”. Na dúvida sobre qual usar, substitua o advérbio pelo seu oposto na frase e veja qual faz sentido.

 

3. “Há” ou “a”

“Há”, do verbo haver, indica passado e pode ser substituído por “faz”. Por exemplo: “Nos conhecemos há dez anos; Nos conhecemos faz dez anos”. Mas o “a” faz referência à distância ou a um momento no futuro. Por exemplo: “O hospital fica a 15 quilômetros; As eleições vão ser daqui a alguns meses”.

 

4. “Há muitos anos/Muitos anos atrás” ou “Há muitos anos atrás”

Usar “Há” e “atrás” na mesma frase é uma redundância (excesso), já que ambas indicam passado. O correto é usar um ou outro. Sim, isso quer dizer que a música Eu nasci há dez mil anos atrás, de Raul Seixas, está incorreta.

 

5. “Tem” ou “têm”

As duas formas fazem parte da conjugação do verbo “ter” no presente. Mas a primeira (sem acento) é usada no singular e a segunda (com acento), no plural.

 

6. “Para mim” ou “para eu”

Os dois podem estar certos, mas, se você vai continuar a frase com um verbo, deve usar “para eu fazer”, “para eu comer” (função de sujeito). Sem a continuação (função de objeto indireto) diga: “Mariana trouxe bolo para mim”.

 

7. “Ganhado/Ganho” ou “Pagado/Pago”

Alguns verbos têm dois particípios, um regular e outro irregular (verbos abundantes).

A regra é:

Com os verbos auxiliares “ter” e “haver”, use a forma regular: “Eu já tinha pagado a conta”; “O time havia ganhado a partida”.

Com os verbos auxiliares “ser” e “estar", use a forma irregular: “A conta foi paga por mim”/ “O jogo estava ganho no primeiro tempo”.

 

Observação: o único particípio do verbo “chegar” é chegado, então “tinha chego” está errado! Fale corretamente “tinha chegado cedo”.

 

8. “Ver”, “Vir” e “Vier”

A conjugação desses verbos pode causar confusão em algumas situações, como no Futuro do Subjuntivo.
No verbo “ver”, o correto é “quando você o vir”, e não “quando você o ver”.

Já no caso do verbo "ir", a conjugação correta é “quando eu vier”, e não “quando eu vir”.

 

9. “Aquele” com ou sem crase

A crase indica a fusão da preposição “a” (com significado de “para”) com o artigo “a”. Então, em vez de escrever “a aquele”, “a aqueles”, “a aquela”, “a aquelas” e “a aquilo”, use “àquele”, "àqueles", "àquela", "àquelas" e "àquilo". A crase nesses casos indica a fusão dos dois “as”.

 

10. “Ao invés de” ou “em vez de”

“Ao invés de” significa “ao contrário” e deve ser usado apenas para expressar oposição: “Ao invés de virar à direita, virei à esquerda”.

 

Já “em vez de” tem um significado mais abrangente e é usado principalmente como a expressão “no lugar de”. Mas ele também pode ser usado para exprimir oposição. Por isso, em caso de dúvida, os linguistas recomendam usar “em vez de”.

 

Fonte: BBC Brasil