A+ A-
Destaques

Por que ter um Employer Branding

Por que um profissional realmente bom no que faz iria querer se juntar a uma empresa? E como uma organização vai conseguir manter esse colaborador por mais tempo?

 

Diante dessas questões que refletem a disputa por talentos cada vez mais intensa no mundo, as organizações passaram a usar o Employer Branding — a marca do empregador — como estratégia para atrair e reter os melhores talentos.

 

A marca empregadora de uma empresa — percepções que colaboradores, atuais e potenciais, têm sobre como é trabalhar lá — é um componente crítico de sua capacidade de atrair e reter talentos. Por essa razão, cada vez mais, as empresas fazem a gestão ativa de sua imagem e reputação como um local para se trabalhar.

 

Quando os atributos que compõem essa imagem são claros — recompensa, reconhecimento, benefícios —, é possível aproveitar melhor as qualidades específicas da empresa para tornar-se uma marca desejada, capaz de atrair profissionais de alta performance e de alto potencial. Ou seja, transformar-se em uma “marca empregadora”.

 

Portanto, a marca do empregador é definida como o diferencial da organização para atrair e reter as pessoas em termos de benefícios funcionais, econômicos e psicológicos identificados com a imagem da empresa empregadora. E essa estratégia é um esforço de longo prazo que permeia todos os aspectos do ciclo de vida dos colaboradores, incluindo recrutamento, integração, retenção e engajamento.

 

Do mesmo modo que as empresas investem em suas marcas voltadas ao consumidor, elas devem investir em um processo rigoroso e contínuo para criar seu Employer Branding (EB), voltado para selecionar profissionais atraídos pela marca ou aqueles que se encaixam nas especificações implícitas da marca. Os quatro componentes principais desse processo são:

 

Avaliação do posicionamento da marca empregadora, para identificar ações que melhorem a estratégia de atração e retenção.

 

Desenvolvimento de uma Proposta de Valor do Emprego, ou oferta específica de trabalho, conhecido pela sigla EVP (Employment Value Proposition). O EVP ajuda a estabelecer um posicionamento diferenciado em relação a outros empregadores, construindo ao longo do tempo o Employer Branding.

 

Comunicar o Employer Branding, para reforçar a marca empregadora no mercado.

 

Fazer avaliação constantentemente para cuidar da reputação organizacional e eficácia do EVP.

 

Um forte Employer Branding ajuda a atrair profissionais que compartilham a visão e os valores de uma empresa e que se adaptam bem à cultura da organização. As empresas que não se diferenciam construindo uma marca empregadora consistente ficam em desvantagem na hora de atrair os perfis desejados. Entre os resultados positivos da marca empregadora estão recrutamento mais eficaz, custos mais baixos para recrutar, melhor qualidade dos candidatos, colaboradores mais engajados e menor rotatividade.

 

O princípio orientador do Employer Branding mais importante é que as empresas devem cumprir o que prometem. A consistência entre palavras e ações ajuda bastante na construção de uma percepção positiva e credibilidade da marca empregadora entre candidatos e colaboradores. Portanto, demonstrar consistência entre a promessa na hora do processo seletivo e a realidade praticada dentro da empresa é essencial. Quando isso acontece, os colaboradores compreendem e vivenciam os valores da marca, o que ajuda a motivar e reter esses profissionais.

 

Fonte: CLC/Career Builder