A+ A-
Destaques

A nova corrida espacial

Especialistas preveem uma nova onda de inovação no espaço até 2030. Segundo dados publicados pelo report Digital Futures, da SAP, um recorde de 120 empresas de capital de risco já investiu 3,9 bilhões de dólares em empresas espaciais em 2017 e a economia espacial global vai triplicar de 329 bilhões de dólares para 1,1 trilhão de dólares até 2040.

 

Ainda que o espaço não esteja no topo da agenda dos líderes digitais, as principais empresas já fazem apostas de bilhões de dólares, o que sugere a importância dessa pauta para os negócios no futuro próximo. “Muitas inovações agora essenciais para a maioria das organizações — de dispositivos móveis a GPS — resultaram da pesquisa e desenvolvimento no espaço, e é provável que muitas inovações futuras também sejam originadas no cosmos”, aponta o report.

 

À medida que empresas privadas se juntam ao setor público no avanço da inovação relacionada ao espaço, a economia espacial tende a crescer. Algumas das maiores empresas da Terra planejam expandir seus mercados para o céu. Os principais investimentos incluem:

• 30 milhões de dólares no XPrize Lunar, do Google

• 1 bilhão de dólares de investimento em transporte espacial do CEO da Amazon, Jeff Bezos

• Stratolaunch Systems, do co-fundador da Microsoft, Paul Allen

• SpaceX, do CEO da Tesla, Elon Musk

 

Uma evidência dos benefícios do investimento espacial é o rápido crescimento da infraestrutura mundial de satélites:

• Mais de 4.500 satélites orbitam a Terra hoje.

• O custo para lançar um satélite caiu de 60 milhões de dólares para 2 milhões de dólares.

• 930 nanossatélites foram lançados nos últimos anos, uma fonte poderosa de avanços em Big Data em áreas como observação climática e transparência da cadeia de suprimentos. Esses satélites menores e mais baratos vão transmitir volumes muito maiores de dados gerados pelas tecnologias da Internet das Coisas. Avanços em análise de dados, IA e computação vão permitir transformar imagens e dados em tempo real em inovação em todos os setores.

 

Como afirma o report, a inovação revolucionária geralmente resulta de olhar para um problema de um ângulo diferente. Para os especialistas da SAP, observar a Terra de satélites em órbita e contemplar o espaço pode proporcionar a mudança radical necessária para expandir nossos horizontes cognitivos e chegar a soluções não consolidadas pela perspectiva terrestre. “As zonas de desenvolvimento econômico galáctico poderiam estimular uma série de novas indústrias, do turismo espacial à manufatura espacial”, apostam.

 

Já há uma série de exemplos de como a exploração espacial e sua engenhosidade podem fornecer novas opções para expandir mercados e apoiar a vida na Terra:

• As empresas olham para o espaço em busca de recursos vitais, incluindo energia solar e minerais essenciais.

• A China planeja a construção de sua estação espacial em 2019, enquanto o bilionário Robert Bigelow está financiando estações espaciais privadas.

• Governos e empresas privadas já planejam a exploração e desenvolvimento da Lua e Marte.

 

Fonte: SAP